Ir para conteúdo

O que é Data-driven!


Vasata

185 visualizações

Você já ouviu falar de data-driven? Se sua resposta é não, gostaria de compartilhar contigo alguns conceitos a respeito do tema.

Hoje em dia com a evolução da economia e a velocidade tecnológica, não cabe mais espaço para decisões baseadas em 'achismos', ou instinto. As tomadas de decisões, em todos os níveis organizacionais, necessitam de velocidade, assertividade e precisão, devido à grande troca de informações e alto nível de concorrência nos ambientes empresariais.

Não digo que a experiência e o feeling não tenham mais valor, mas precisam estar apoiadas em algo mais concreto, que potencialize as competências dos gestores.

É aqui que entra o tal “data-driven”, que literalmente significa "direcionado por dados" ou "orientado por dados". Empresas data-driven são aquelas que reúnem os dados sobre o próprio negócio e o seu entorno e os armazenam para utilizar através da inteligência de negócios (BI) em situações estratégicas e na tomada de decisões.

Saiba principalmente que grandes empresas que estão fazendo a diferença no mundo já vivem embasadas na cultura data-driven e sua performance gigante está completamente ligada a decisões guiadas por dados.

Atualmente, ser data-driven é crucial para se obter sucesso, pois segundo William Edwards Deming “não se gerencia o que não se mede, não se mede o que não se define, não se define o que não se entende, e não há sucesso no que não se gerencia”.

Os dados se tornaram os principais recursos para o aperfeiçoamento e sucesso das empresas. Quem não aproveita os benefícios dessas informações perde competitividade e a oportunidade de ganhar mercado.

É importante ressaltar que os dados não mostram o futuro para o gestor, mas indicam padrões e áreas que necessitam de ações. Imagine que um determinado departamento ou produto esteja sugando energia e recursos financeiros, e ao mesmo tempo está oculto aos gestores, o quanto isso pode ser prejudicial.

Em uma empresa com a cultura data-driven, as informações são transformadas em ações e os resultados dessas ações são transformados em novos dados. É um processo cíclico e contínuo, que encorpa a empresa e a deixa cada vez menos suscetível a surpresas, deixando os gestores com mais tempo para tomar decisões e criar novas oportunidades.

A cultura data-driven torna as empresas mais ágeis, adaptáveis e criativas, além de conseguir agir com objetividade. Contudo, os dados dependem da inteligência humana para serem interpretados e transformados em ações, por isso, é tão importante e valioso a experiência dos gestores, bem como criar um ambiente que treine e incentive o uso e a análise de dados em todos os níveis organizacionais.

Porém as ferramentas vão coletar muitos dados e nem sempre todos serão necessários ou úteis para o seu negócio, por isso é muito importante saber separar os dados certos e eliminar os errados. É preciso saber quais são as informações que agregam valor para construir suas estratégias, pois ter um acúmulo de dados desnecessários pode prejudicar e dificultar a elaboração da ação mais adequada.

Espero que nesse momento você já esteja convencido da necessidade da cultura data-driven para o sucesso das empresas, portanto é bom ter em mente algumas ações que evidenciam essa cultura. Quero destacar quatro;

1. Nas rotinas de uma empresa data-driven sempre existe o hábito de captar dados e isso faz toda a diferença, tanto para melhorar processos internos quanto para diminuir riscos e potencializar estratégias.

2. Todas as fontes de dados são integráveis, ou seja, existe uma relação direta que as conecta, de forma que partes do negócio não se isolem, deixando assim de entregar valor para toda a organização.

3. Existe a democratização dos dados para facilitar as tomadas de decisões, com isso, todas áreas da empresa são capazes de ver e entender os dados que lhes interessam sem necessidade de consultoria especial do time de dados a todo momento.

4. Sempre que for necessário tomar uma decisão, o primeiro passo é reunir o máximo de dados possíveis sobre o assunto e tentar extinguir as possibilidades para depois escolher o caminho a seguir. Nunca tomam decisões, para em seguida, encontrar dados visando apoiá-las.

Essas são somente algumas atitudes que revelam a cultura data-driven em uma organização. Espero ter incentivado e disseminado a importância da gestão orientada por dados.

Antes de encerrar quero destacar que dentro da cultura data-driven sempre é necessário criar métricas ou KPIs (Key Performance Indicators), que deixarão bem claro a real performance trazida pelos dados, mas isso é assunto para outro artigo...

  • Gostei 8
  • Obrigado(a) 1

0 Comentários


Comentários Recomendados

Não há comentários para mostrar.

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora
×
×
  • Criar Novo...